POESIA

QUEM ME DERA MORRER

quem me dera morrer
quem me dera
morrer
agora
com as mãos sujas de tinta
já seca nas extremidades
ainda húmida entre os dedos
azul vermelho por todo o lado
isso faria de mim escritor dotado
até ao último suspiro a escrever
a azul vermelho preto também
o nervo ulnar ainda a bater
das veias mais tinta a rebentar
ainda mais tinta a sujar
as mãos minhas de escritor
do escritor que vi nascer
que outros verão morrer
tomara eu que fosse agora
se agora morresse
com as mãos sujas de tinta

Mural de la Miseria Nr. 5, Oswaldo Guayasamin
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on pocket
Rui Sobral

Rui Sobral

Escritor que lê, escreve e medita. E repete todos os dias, não necessariamente na mesma ordem.

PARTILHAR