Scotch, Rocks I, 2008, Julia Jacquette

QUANDO VOLTARES

quando voltares,

não olhes de soslaio para mim.
eu fiz da minha biologia uma tentativa,
eu portei-me bem e a preceito.
deixei feita a cama, enchi os vasos de água,
calcei com amor as botas rasgadas
que encontrei no meio da lama.
eu cantei para Ti quando a raiva
era por demais maior que
as palavras que Me deste para a articular.
por favor, nada disto agora é comigo.
em 2008, quando eu comecei isto
limpo e virgem eu disse
“a minha única filosofia é o meu umbigo”
e nunca me senti tão perto de Ti
desde aí Te quero escrever um soneto mas não consigo,
um amigo disse-me
“Deus é o único Ser capaz de se negar a Si próprio”
se voltares quando estiver a beber sabe que tentarei outra vez
quando estiver sóbrio.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on pocket
António Fojo

António Fojo

Activista anti social pela alta burguesia e empreendedorismo.

PARTILHAR