josé bento

Um dos maiores tradutores de literatura e poesia em língua espanhola em Portugal, ele próprio um poeta recatado, José Bento faleceu a 26 de outubro de 2019, em Lisboa. As suas traduções de obras de autores como Federico Garcia Lopes, Jorge Luis Borges, Pablo Neruda, Ortega y Gasset ou Octavio Paez granjearam-lhe reconhecimento e mérito, tanto em Portugal como em Espanha. Fundador da revista literária Cassiopeia, era um homem “discreto, tímido”, um amante da cultura hispânica, que nos deixa, agora, com os seus versos e um invejável registo de obras por ele reescritas em língua portuguesa, depois de uma vida dedicada à literatura e à sua difusão.

os poemas que escrevas

Os poemas que escrevas,
ainda que muitos, são
um só
inacabável,
interceptado um dia:

sufocante abertura por onde irás descendo
a um poço, uma vertigem, com uma única saída

que enfim vislumbrarás
quando já não tiveres olhos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on pocket
DILÚVIO

DILÚVIO

Uma revista digital de publicação literária e divulgação artística.

PARTILHAR