III
XX vícios cigarro amor

um cigarro no tempo em que fumar
me fazia novo
e me trazia paz aos pulmões meus
um cigarro que agora me pedes
a mim devagar
nas angústias de um tempo acelerado

com o fumo pelas estribeiras da cama
enrolo-me nu
aos lençóis nossos das noites sem sono
e bebo-me inteiro a um só gole
sem pestanejar
esquartejando o teu nome do meu lembrar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on pocket
Rui Sobral

Rui Sobral

Escritor que lê, escreve e medita. E repete todos os dias, não necessariamente na mesma ordem.

PARTILHAR