III
XX astronauta amor

foi sempre o amor. é sempre o amor. 
nada é tão alto como o amor, nada é tão solene, nem severo; 
nada é tão agramatical, nem fértil nem terreno nem astronauta no espaço;
nada é tão sereno ou obsceno como é o amor. foi sempre o amor, será sempre o amor. 
que nos falte tudo, até mesmo a paz, mas nunca o amor, esse que me faz falta, não o que tenho, mas o outro; 
nem que seja para nos odiarmos mais tarde ou para fazermos poesia de amor ou desamor; 
será isto um poema de amor? 
uma espécie de estalo à vida; 
uma espécie de estalo à morte.

The Kiss, Auguste Rodin
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on pocket
Rui Sobral

Rui Sobral

Escritor que lê, escreve e medita. E repete todos os dias, não necessariamente na mesma ordem.

PARTILHAR