Tempo de Colheita, Julian Dupre

III
XVI amantes do campo

semeei na terra um amor que era só nosso
e de angústias reguei-o delicadamente
todos os dias ao acordar
todos os dias

fizesse chuva fizesse sol todos os dias
todos os dias reguei-o ao acordar
às vezes vento outras não

colhi dos outros verdades sempre nossas
verdades mentidas a bocas vazias
chorasse lágrimas ou mar

corri de noite à nossa procura pelas ruas
encontrei-nos vivos caídos no chão
abraçados abracei-nos
todos os dias

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on pocket
Rui Sobral

Rui Sobral

Escritor que lê, escreve e medita. E repete todos os dias, não necessariamente na mesma ordem.

PARTILHAR