Três Músicos, Pablo Picasso

III
XIX o comprimido da manhã
costas retas
ombros descontraídos
respiração consciente
uma duas três quatro
respirações profundas
recordo-me
recordo-me de um filete de sangue nas gengivas
mantenho a respiração
rios nos olhos outra vez
ruminantes pensamentos agrestes na minha cabeça
leonard cohen e outras poesias
flanders amarante e leonard cohen e outras poesias
e o adanowski o filho e o devendra lentamente
e as coxas que doem
e o pescoço que cede
e tantos que´s; tantos que´s, editora
lembro-me da cristina
e da cristina lembrando-me
lembro-me sempre
lembro-me sempre que fujo do mário há meses
e até dez
um um dois dois três três quatro quatro
quatro quatro três três dois dois um um
e até dez a minha respiração é minha
e agora anseio ouvir o sino
como lobo sedento sozinho
anseio ouvir o sino
para encontrar vida no comprimido da manhã

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on pocket
Rui Sobral

Rui Sobral

Escritor que lê, escreve e medita. E repete todos os dias, não necessariamente na mesma ordem.

PARTILHAR