II
XCIX outro renascimento

histórias de virgindade
na central dos autocarros
nos bancos da cidade
nas esplanadas hoje nuas
na relva onde comemos
coisas tuas; coisas nossas
nas mochilas da escola
e tantos sonhos vivemos
tantos pães na relva comemos
tanto amor, tantas promessas
tantas lágrimas e ciúmes
tantas origens desconhecidas
todas vindas do estômago
o amor não foi suficiente, amor
e hoje olho-te
e desejo-te com a mesma força
e hoje olhei-te
vi-te passar
em passo rápido
a vida a fugir-te
a esventrar-te
e tu a assistires
desconsolada
nos jardins onde comemos
coisas tuas; coisas nossas

Lovers In The Grass - Alois Kalvoda
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on pocket
Rui Sobral

Rui Sobral

Escritor que lê, escreve e medita. E repete todos os dias, não necessariamente na mesma ordem.

PARTILHAR