II
I poeta não sou em mim

escrevesse eu poesia
ou não
poeta na mesma seria
vive em mim a poesia
sem que a exerça
(aos olhos dos outros)
sem que a retrate
(aos olhos meus)
vive em mim toda a poesia
toda a poesia do mundo
sem que de poesia me vista
sem que poesia sinta em mim
apenas a bebo
a esquartejo
e a como
(às quatro da madrugada)
entre frias paredes
papeis escritos
e tinta por gastar
(a minha última carta)
mundos inteiros perdidos
encontrados em mim
nesta alma vazia
que se escrevesse poesia
ou não
poeta na mesma seria

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on pocket
Rui Sobral

Rui Sobral

Escritor que lê, escreve e medita. E repete todos os dias, não necessariamente na mesma ordem.

PARTILHAR