Vincent van Gogh - Cafe Terrace at Night (1888)


I
XCVI noites de alvorada em mim

nunca houve uma noite sequer
em que nenhum medo me assaltasse
todas foram alvorada dentro da minha paz
todas nuas, malditas noites em mim
e resta-me a voz dos dias luminosos
que me abraçam inteiro
e fazem correr vestido de esperança
pelas beiras das ruas frias da cidade

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on pocket
Rui Sobral

Rui Sobral

Escritor que lê, escreve e medita. E repete todos os dias, não necessariamente na mesma ordem.

PARTILHAR